NotíciasTestes e LançamentosViagens e AventuraFotosOpiniãoDicasMecânica
atualizado em 23 de dezembro de 2013                       quem somos | contato | newsletter       

   
 
Range Rover Sport


Muito luxo, conforto e competência fora da estrada. O novo Range Rover Sport chega ao Brasil

Desejos para 2014


Roberto Nasser abre o ano com uma lista de desejos para os leitores terem um novo ano perto da perfeição

Novo Logan


Quase 80 por cento do novo Logan são novos mesmo. A Renault mudou quase tudo no modelo, que tem seus atrativos
 
Noruega vai suprimir vantagens fiscais para carros elétricos

foto de Divulgação

Isenção de taxas, impostos, pedágios e estacionamentos deverão acabar em 2015
A Noruega é atualmente o país com o maior número de carros elétricos por habitante, um verdadeiro paraíso para os proprietários desses veículos. As vendas de Nissan Leaf, Mitsubihi i-MIEV e Tesla Model S aumentam a cada mês, ficando inclusive acima dos modelos híbridos e de motores térmicos. Até o final deste ano os carros elétricos representarão 5% do mercado norueguês.

O êxito dos carros elétricos no gelado país é tanto que todos os fabricantes com carros elétricos em sua gama miram com prioridade a Noruega. Mas a principal razão de todo esse sucesso no país escandinavo não é exatamente a ´consciência ecológica` de seus habitantes e sim a incentivos puramente materialistas: isenção do IVA (o equivalente ao nosso IPVA) e qualquer outro imposto relacionado com o carro, pedágios grátis, estacionamentos grátis e livre acesso aos corredores de ônibus.

Com mais de cinco mil pontos de recarga públicos e mais de 13 mil carros elétricos licenciados, a Noruega já está prestes a chegar a um colapso de sua mobilidade elétrica, segundo informam alguns diários noruegueses, como o Budstikka. O Estado tem que renovar toda a infraestrutura viária em geral, inclusive manter e aumentar suas estradas.

Com tantos carros elétricos circulando, o Estado vem anotando uma acentuada queda em arrecadações, exatamente devido aos incentivos oferecidos aos compradores desses modelos, que inclui também o uso gratuito no sistema de balsas.

Segundo o diário Slate, os elétricos além de não contribuírem com as taxas, impostos e cobranças de praxe para os veículos comuns, ainda prejudicam o transporte público. O jornal levantou que cerca de 60% dos usuários dos principais corredores de ônibus são carros elétricos, ou aproximadamente 829 veículos por dia, de um total planejado de mil veículos diários circulando nesses corredores para que os mesmos sejam eficientes. Ou seja, os carros elétricos estão passando rapidamente de herói para vilão, ´acusados` de benefícios que prejudicam a arrecadação de dividendos e a consequente manutenção do sistema e de serem os responsáveis pela ineficiência do transporte público, que se avizinha.

Difícil que a Noruega perca o bonde dos elétricos. Mas para garantir, as vantagens fiscais concedidas aos veículos elétricos serão gradualmente reduzidas, até serem eliminadas totalmente em 2015.


Ricardo Panessa


-----------------------------------------------------------------------------------------------
anterior | índice | próxima